Namoro: Sexo ou Castidade?

Hoje em dia o sexo anda banalizado, e sendo visto como algo muito natural durante o namoro e infelizmente até mesmo eu outras situações em que não existe o menor compromisso. Com isso a opinião da Igreja é mais uma vez deixada para trás e ganhando o rótulo de retrógrada, antiquada e ditadora.

Muitos acreditam que para a Igreja Católica sexo é algo horroroso, pecaminoso e intocável. Mas a verdade é que a Igreja vê o sexo, a sexualidade humana como algo precioso, como um grande tesouro que precisa ser bem guardado e utilizado da forma adequada e no momento adequado. A esta forma prudente e adequada eu chamo de castidade.

Embora a sociedade tenha verdadeiro pavor da palavra castidade, “ Todo batizado é chamado a levar uma vida casta, cada um segundo seu estado de vida próprio.” (CIC 2394)

Todos nós somos chamados a viver a castidade, inclusive os casados. No namoro, a castidade é vivida na forma de abstinência total do sexo e demais carícias que possam provocar um relacionamento mais intenso, desta forma viverão a descoberta do respeito mútuo, a aprendizagem da fidelidade, do carinho, da esperança de receberem ambos da parte de Deus, deixando para o casamento as manifestações mais íntimas de ternura, específicas do amor conjugal. É belíssimo!

Para entender melhor é preciso que saibamos que o sexo tem por finalidade a união do casal e a procriação. “No casamento, a intimidade corporal dos esposos se torna um sinal e um penhor de comunhão espiritual.”(CIC 2360)  Porém quando o prazer sexual é buscado por si só, isolado de suas reais finalidades, torna-se moralmente desordenado.

Casamento é união de corpos, mas é especialmente união de duas almas que se amam e optam por viver juntos para todo o sempre. Muitos dão a desculpa que é preciso conhecer o outro também sexualmente antes do casamento, mas perdoem-me se for grosseira, mas nem todo aquele(a) que é bom de cama será bom esposo (a) e nem muito menos fiel como é o necessário.

A castidade será uma força para o casal de namorados. Onde se vive a castidade existe mais carinho, mais respeito e maior auto domínio de si, quem vive a castidade no namoro terá mais chances de viver a fidelidade no casamento. Aqueles que conseguem viver a abstinência sexual durante o namoro dão grande prova de amor uma ao outro além de se exercitarem no autodomínio também de outras forçasem nós mesmos especialmente a do temperamento.

Muitas moças e rapazes têm medo de serem trocados, rejeitados ou até mal interpretados por conta da castidade, mas este medo não deve existir! O sexo jamais poderá ser exigido como uma prova de amor, ao contrário a castidade sim será uma grande prova de amor e uma grande força na união do casal.

Quem constrói um namoro solidificado pela castidade certamente será feliz no matrimônio. Todos desejam ter uma família santa e feliz, para isso é preciso construir um namoro santo, casto.  

São muitas as desculpas para se viver o sexo fora do matrimônio, mas só quem experimenta a castidade no namoro é quem sabe o quanto mais se vive de carinho, conhecimento e amor.

A Palavra de Deus diz: ” Torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade.[…] Se isto fizeres, salvar-te-ás a ti mesmo e aos que te ouvirem.” (I Tim 4,12;16b).

A Igreja católica quando afirma que o sexo é para o matrimônio, não está sendo antiquada e retrógrada, mas uma mãe zelosa que por experiência sabe as conseqüências do sexo antes do casamento e as feridas que ele provoca na alma de ambas as partes. Por causa do sexo sem compromisso são muitas as jovens que engravidam, interrompem seus estudos, outras cometem abortos, são abandonadas por seus namorados, com um filho, ou às vezes sem filho, jovens ficam depressivas pois doaram aquilo que tinham de mais íntimo, rapazes que não conseguem se controlar, têm sua sexualidade ferida e afetividade baseada no sexo… Enfim são muitas as conseqüências dolorosas que associadas a Palavra de Deus nos levam a termos a certeza que o namoro precisa ser vivido na castidade, e que isto será um bem não só para católicos mas para todos que quiserem ser mais felizes e construírem uma família com bases sólidas no amor.

Castidade não é uma recomendação apenas católica, mas em quase todas as religiões fica a recomendação de um namoro casto, deixando claro aqui que sexo antes do casamento será algo prejudicial não só para católicos, mas para todos. Sexo é fonte de vida, mas fora do casamento poderá se tornar em fonte de morte para qualquer um.

Sexo é um belo presente de Deus e vale apena esperar o matrimônio. A castidade é um grande escudo que protege o namoro e o casamento contra traições, desamor, falta de carinho e especialmente um escudo que protegerá contra as más escolhas e um casamento infeliz. Quem viver a castidade verá o quanto é lindo e maravilhoso.

Lembremo-nos sempre que somos chamados a santidade, a sermos santos, como Deus é Santo, e a castidade é um grande exercício de santidade. Para alcançá-la a vida de oração a dois será uma força incomparável.

Fonte:  http://giselle.cfn.blog.br/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s