10 razões para viver a castidade no namoro

{O professor Felipe Aquino dá dicas preciosas sobre as vantagens de se viver a castidade no namoro, e ao contrário do que muitos tendem a pensar, a castidade não é um ‘cinto de contensão sexual’, para impedir as pessoas de terem relações sexuais, mas ela é uma virtude que envolve todo nosso ser e nos faz pessoas melhores de se relacionar}.

1. A castidade no namoro favorece o crescimento amistoso entre o casal. A pureza ajuda a ter uma boa comunicação com seu(sua) namorado(a). Não se concentram só no prazer, mas na alegria de compartilhar a vida, as conversas são mais profundas, a comunicação não é ofuscada e o casal pode se conhecer melhor.

2. Cresce o lado amistoso do relacionamento. A vida sexual no namoro pode dar a falsa impressão de que os jovens estão de fato próximos, quando, na verdade, não estão.
Alguns jovens se deixam levar por paixões e, depois, quando se conhecem em profundidade, se desencantam. Muitas vezes, nem sequer chegam a se conhecer.

3. Existe um melhor relacionamento com os pais de ambas as famílias. Os pais cristãos querem que seus filhos solteiros vivam a continência sexual e se sentam mal quando sabem que eles estão sexualmente ativos, sem estar casados.
Quando um casal sabe que deve esconder suas relações sexuais, cresce a culpa. Os jovens que vivem a pureza se relacionam mais cordialmente com os próprios pais e com os pais do(a) namorado(a).

4. As relações sexuais tem o poder de prolongar uma relação pouco sã, baseada na atração física ou na necessidade de segurança. Uma pessoa pode se sentir “presa” a um relacionamento do que gostaria de sair porque – no fundo – não o deseja, mas não sabe como fazer. Uma pessoa casta pode romper com maior facilidade o vínculo afetivo que o ata ao outro, pois não houve uma intimidade tão poderosa no aspecto físico.

5. A castidade estimula a generosidade contra o egoísmo.
As relações sexuais durante o namoro convidam ao egoísmo e á própria satisfação. Inclinam o casal a sentir-se em concorrência com outras pessoas que podem chamar a atenção do(a) namorado(a). Estimulam a insegurança e o egoísmo porque o fato de começar a entrar em intimidade convida a pedir mais e mais.

6. Há menos risco de abuso físico ou verbal. O sexo, fora do casamento, pode associar à violência e a outras formas de abuso. Por exemplo, há duas vezes mais ocorrência de agressão física entre casais que convivem sem compromisso do que entre pessoas casadas. Há menos ciúme e menos egoísmo nos casais de namorados que vivem a pureza do que naqueles que se deixam levar pelas paixões.

7. Aumenta o repertório dos modos de demonstrar afeto.
Os namorados que vivem a castidade encontra, detalhes “novos” para demonstrar afeto e contam com iniciativas e ideias para passar bem e demonstrar mutuamente seu carinho. O namoro se fortalece e eles têm mais oportunidades de se conhecer no que diz respeito á personalidade, aos costumes e à maneira de manter um relacionamento.

8. Existem mais possibilidades de triunfar no casamento.
As pesquisas têm demonstrado que os casais que já viveram juntos têm mais possibilidades de se divorciar do que os que não fizeram essa experiência. {Certa vez vi uma estatística mostrando a relação do divórcio de casais que mantinham relações sexuais antes de casar, me assustou e a princípio soou como alarmante que em alguns casos em até 5 anos o casal já havia se divorciado. Mas basta olharmos ao nosso redor para constatar muitos fatos semelhantes, em contrapartida os casais que não tiveram relações sexuais pré-matrimoniais não se observa a mesma estatística}.

9. Se você decidir terminar o namoro, doerá menos. Os laços criados pela atividade sexual, por natureza, vinculam fortemente o casal. Então, se houver uma ruptura, será mais intensa a dor produzida pela separação, devido aos vínculos estabelecidos. Quando não tiverem relações íntimas e decidirem se separar, o processo será menos doloroso.

10. Você se sentirá melhor como pessoa.
Os adolescentes sexualmente ativos frequentemente perdem a autoestima e admitem viver com culpas. Quando decidem deixar de lado a intimidade física e viver castamente, sente-se como novos e crescem como pessoas. Além disso, melhoram seu potencial intelectual, artístico e social.

Com o sexo não se deve jogar. Quando alguém o pressionar dizendo: “Só te peço sexo uma vez e não insistirei mais”, uma boa resposta seria: “Isto é justamente o que me preocupa. Prefiro me conservar para alguém que vai me querer toda a minha vida”.

Infelizmente, dentro do relativismo religioso e moral que vai penetrando também na Igreja, até mesmo na cabeça de alguns sacerdotes, a fornicação entre namorados e noivos vai se tornando corriqueira e muitos a querem justificar e até aprovar em nome do “amor”.

Não é raro ouvir jovens comentando que um padre disse que não é pecado viver o sexo com o(a) namorado(a) se eles se amam. No entanto, para sermos fiéis a Deus e à Igreja não podemos aceitar essa grave quebra da moral católica. O Papa Bento XVI disse claramente na encíclica “Caritas in veritate” que “o amor sem a verdade é sentimentalismo”.

{Portanto se você pensa estar vivendo a castidade apenas por não ter relações sexuais, mas não consegue perceber nem a metade dos pontos abaixo, saiba que você precisa aprender mais sobre a castidade}.

Por: Prof. Felipe Aquino

Extraído do livro: O brilho da castidade

{ } Por Equipe Humanizando o Sexo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s